2574

Notícias » MJCP - CONHEÇA A NOSSA DECLARAÇÃO DE FÉ!


Enviada por Administrador em 27/05/2013


DECLARAÇÃO DE FÉ DO MJCP
 
As Sagradas Escrituras:
 
         Cremos que a Bíblia Sagrada é a Palavra do Deus Vivo; Verdadeira, imutável, firme, inabalável, como o seu autor o Senhor Jeová; que foi escrita por santos homens do passado, movidos e inspirados pelo Espírito Santo; que ela é lâmpada acesa para guiar os pés em um mundo perdido, desde as profundezas do pecado e tristeza até as elevações da honradez e da glória; um espelho claro que revela a face de um Salvador crucificado; uma linha de prumo a tornar reta a vida de cada indivíduo ou comunidade; uma afiada espada de dois gumes para convencer do pecado e da maldade; um forte elo de amor e ternura para levar arrependidos a Cristo Jesus; um bálsamo de Gilead, sob o sopro do Espírito Santo, que pode curar e vivificar todo coração desfalecente; único sustentáculo verdadeiro da comunhão e unidade cristã; apelo de amor de um Deus infinitamente amantíssimo; advertência solene, troveja distante da tempestade e da ira e retribuição que cairá sobre os desatentos; uma seta apontada para o céu; um sinal de perigo que adverte quanto ao inferno; o divino, supremo e eterno tribunal por cujos padrões todos os homens, nações, credos e argumentos serão julgados.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Sl 119.89   -> Para sempre, ó Senhor, está firmada a tua palavra no céu.
IITm 3.16-17-> Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.
Sl 119.105 -> Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos.
IIPe 1.19-21 -> Temos assim tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vossos corações; sabendo, primeiramente, isto, que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens [santos] falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo.
Jo 5.39      -> Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.
IITm 2.15   -> Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
At 17.11    -> Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as cousas eram de fato assim.
 
 
A Divindade Eterna
        
Cremos que só há um Deus Vivo e Verdadeiro; autor do céu e da terra e tudo o que neles há; o Alfa e o Ômega; que era, que é e que há de vir; que Ele é Santo, Poderoso, Terno, Amoroso e Glorioso; digno de todo amor possível e honra e obediência, majestade, domínio e poder, assim agora e para sempre; e que a unidade da Divindade se constitui em consonância perfeita para com toda perfeição divina, executando funções distintas mas harmoniosas, no grande trabalho da redenção:
 
O Pai - Cuja glória é tão inexcedivelmente brilhante que o homem mortal não pode contemplar Sua face e ainda viver, mas, cujo coração foi tão transbordante de amor e piedade pelo homem que criou e que se encontravam perdidos e vítimas do pecado que Ele, voluntariamente, deu seu Filho Unigênito, para redimí-los e reconciliá-los consigo mesmo.
 
O Filho - Coexistente e co-eterno com o Pai que, concebido pelo Espírito Santo e nascido da virgem Maria, assumiu a forma de homem, suportou nossos pecados, levou nossas tristezas e, pelo derramamento do seu precioso sangue sobre a cruz do calvário, adquiriu a redenção para todos os que nele creiam; então, quebrando os grilhões da morte e do inferno levantou-se da sepultura e subiu às alturas levando cativo cativeiro, para que, como o grande Mediador entre Deus e o homem, pudesse estar à direita do Pai intercedendo por aqueles por quem entregou a sua vida.
 
O Espírito Santo - A terceira pessoa da Divindade, o Espírito do Pai, derramado, Onipotente, Onipresente, realizando uma missão indizivelmente importante sobre a terra, convencendo de pecado, de justiça e do juízo, levando pecadores ao Salvador, rechaçando, glorificando, batizando e revestindo de poder do alto a todos aqueles que se entregam às suas sagradas ministrações, preparando-os para o grande dia da volta de Jesus.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Is 43.10     -> Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, o meu servo a quem escolhi; para que o saibais e me creiais e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.
Is 44.8       -> Não vos assombreis, nem temais; acaso desde aquele tempo não vo-lo fiz ouvir, não vo-lo anunciei? Vós sois as minhas testemunhas. Há outro Deus além de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça.
Ex 33.20    -> E acrescentou: Não me poderás ver face a face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá.
Jo 3.16      -> Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Jo 1.1-3     -> No princípio era o Verbo, e o verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus, todas as cousas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Mt 1.23      -> Eis que a virgem conceberá e dará à lua um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco).
Is 43.11     -> Eu, souo Senhor, e fora de mim não há Salvador.
ITm 2.5      -> Portanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem.
Ef 2.18       -> ...porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.
Jo 15.26    -> Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim;
IICo 13.3   -> A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor do Pai, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.
Mt 28.19    -> Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Mt 3.16–17         -> Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.
 
A queda do homem
        
Cremos que o homem foi criado à imagem de Deus, diante de quem ele andava em santidade e pureza mas que, por voluntária desobediência e transgressão, caiu da pureza e da inocência do Éden às profundezas do pecado e iniquidade, e quem, em conseqüência disso, toda a humanidade é constituída de pecadores vendidos a Satanás. Pecadores não por compulsão, mas por escolha, caracterizados pela iniquidade e inteiramente desprovidos, por natureza, daquela santidade exigida pela lei de Deus, justificação, justamente merecendo a condenação de um Deus Justo e Santo.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Gn 1.27     -> Criou Deus, pois o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
Rm 5.12    -> Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens porque todos pecaram.
Rm 5.19    -> Porque, como pela desobediência de um só homem muitos se tornaram pecadores, assim também por meio da desobediência de um só muitos se tornarão justos.
Is 53.6       -> Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.
 
Ef 2.3         -> ...entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais.
Rm 1.20    -> Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das cousas que foram criadas. Tais homens são por isso indesculpáveis;
Gl 3.22      -> Mas a Escritura encerrou tudo sob o pecado,   para que mediante a fé em Jesus Cristo fosse a promessa conhecida aos que crêem.
 
O plano de redenção
        
Cremos que sendo nós ainda pecadores, Cristo morreu por nós – o Justo pelo injusto – espontaneamente, e por eleição do Pai, tomando o lugar de pecadores, levando seus pecados, recebendo sua condenação, morreu sua morte, pagando inteiramente suas faltas, e assinado, com o sangue o perdão de todos aqueles que haveriam de nele crer; que, simplesmente pela fé a aceitação da expiação adquirida no Monte do Calvário, o mais vil pecador pode ser limpo de suas iniqüidades e tornando mais branco do que a neve.
 
É ensinado nas escrituras em:
 
Is 53.5       -> Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e por suas pisaduras fomos sarados.
Tt 2.14       -> ...o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de reunir-nos de toda iniqüidade, e purificar para si mesmo um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.
Is 55.7       -> Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque Deus, porque é rico em perdoar.
Hb 7.25     -> Por isso pode também salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
Is 1.18       -> Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados são como a escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã.
 
Salvação pela Graça
        
Cremos que a salvação dos pecadores é inteiramente pela graça, que não temos justiça alguma ou bondade em nós mesmos, por onde procurar o Divino amparo, havendo que lançarmo-nos, portanto, à inabalável misericórdia e amor daquele que nos comprou e nos lavou no seu próprio sangue, clamando os méritos e a justiça de Cristo o Salvador, firmados na sua Palavra e aceitando o livre Dom do seu amor e perdão.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Ef 2.8         -> Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é Dom de Deus;
Rm 3.10    -> Como está escrito: não há justo, nem sequer um,...
Rm 3.23    -> ...pois todos pecaram e carecem da glória de Deus,...
Is 64.6       -> Mas todos nós somos como o imundo,   e todas as nossas justiças como trapo de imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como o vento nos arrebatam.
Jo 6.47      -> Em verdade, em verdade vos digo: Quem crê, tem a vida eterna.
Ef 2.13       -> Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.
Rm 6.23    -> ...porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus Nosso Senhor.
 
Arrependimento e aceitação
        
Cremos que, pelo sincero arrependimento, verdadeira tristeza pelo pecado, e verdadeira aceitação do coração para com o Senhor Jesus Cristo, aqueles que O invocam podem ser justificados pela fé, através do seu precioso sangue e que, em vez de condenação, podem obter a mais bendita paz, segurança e amparo com Deus; que, com braços abertos de perdão e misericórdia o Salvador espera para receber, em contrição não fingida e súplica por misericórdia todo arrependimento que queira abrir a porta do seu coração e aceitá-lo como Senhor e Rei.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
IJo 1.9         -> Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
Rm 8.1       -> Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.
Lc 1.77-79 -> ...para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados; graças à entranhável misericórdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.
Jo 6.37      -> Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.
 
 
 O novo nascimento
        
Cremos que a mudança que se efetua no coração e na vida, por ocasião da conversão, é absolutamente real; que o pecador é então, nascido de novo, de maneira gloriosa e transformadora tal, que as coisas velhas são passadas e tudo se faz novo; de tal modo que as anteriores desejadas são agora desprezadas, enquanto coisas anteriores desejadas são agora respeitadas e sagradas; e que tendo sido agora a ele imputada a justiça do redentor e recebido do Espírito de Cristo, novos desejos, novas aspirações, novos interesses e uma nova perspectiva da vida, do tempo e da eternidade, enchem o coração lavado no sangue, de modo tal que o seu desejo, agora, é abertamente confessar e servir ao Mestre, sempre procurando as coisas que são de cima.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Jo 3.3        -> A isto respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
IICo 5.17   -> E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as cousas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.
Jo 15.19    -> Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário dele vos escolhi, por isso o mundo vos odeia.
Gl 2.20       -> Logo, já não sou eu quem vive em mim; e esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.
Rm 3.24-25        -> ..., sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus; a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixando impunes os pecados anteriores cometidos;   
Sl 1.2         -> Antes o seu prazer esta na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
 
 
Vida cristã diária
 
         Cremos que, tendo sido limpos pelo precioso sangue de Jesus Cristo e, tendo recebido o testemunho do Espírito Santo na conversão, é desejado de Deus que nos santifiquemos diariamente, e nos tornemos participantes de sua santidade crescendo constantemente, cada vez mais fortes na fé, poder, oração, amor e serviço; primeiramente, como crianças desejando leite não falsificado, neste mundo; depois como homens fortes vestindo toda a armadura de Deus, marchando avante para novas conquistas em seu nome, ao abrigo do seu estandarte de sangue; vivendo sempre uma vida paciente, sóbria, não egoísta, segundo Deus, a qual representa um verdadeiro reflexo de Cristo em nós.
 
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
ITs 4.3       -> Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição,...
ITs 5.23     -> O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo, sejam irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
IICo 7.1      -> Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santificação no temor de Deus.
Pv 4.18      -> Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.
Hb 6.1        -> Por isso, pondo de parte os princípios elementares da doutrina de Cristo, deixando-nos levar para o que é perfeito, não lançando de novo a base de arrependimento de obras mortas, e da fé em Deus,...
Rm 8.5       -> Porque os que se inclinam para a carne cogitam das cousas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das cousas do Espírito.
Is 35.8       -> E ali haverá bom caminho, caminho que se chamará o Caminho Santo; o imundo não passará por ele, será somente para o seu povo; quem quer que por ele caminhe não errará, nem mesmo o louco.
IPe 2.2       -> E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade;
 
 
Batismo e Ceia do Senhor
 
         Cremos que o batismo nas águas, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, de acordo com o mandamento de nosso Senhor, é um sinal exterior de uma obra interior; um belo e solene símbolo a lembrar-nos que assim como nosso Senhor morreu sobre a cruz do Calvário, assim também contamo-nos como mortos para o pecado, e a velha natureza com ele pregada no madeiro; e que, assim como ele foi descido do madeiro e foi sepultado, assim nós somos sepultados com ele pelo batismo da morte, para que, assim como Cristo foi levantado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos em novidade de vida.
 
         Cremos na comemoração e observância da Ceia do Senhor pelo uso do pão partido, um precioso tipo de Pão de Vida, Jesus Cristo, cujo corpo foi partido por nós; e da seiva da videira, um maravilhoso tipo a lembrar sempre o participante, o sangue derramado pelo Salvador, que é a verdadeira videira, da qual seus filhos são as varas; que esta ordenança é determinada na Palavra para que seja realizada no período compreendido entre o Calvário e a vinda do Senhor, quando o Reino do Pai ele compartilhará novamente da companhia de seus filhos, e que o servir e o receber estes elementos (o pão e o vinho), deve ser sempre precedido pelo mais solene exame do coração, autocrítica, perdão e amor para com todos os homens, para que ninguém participe indevidamente e coma e beba condenação para sua própria alma.
 
 
É ensinado nas escrituras em:
 
Mt 28.19    -> Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
At 10.47-48        -> Porventura pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, recebam o Espírito Santo? E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias.
Gl 3.27-28 -> ...porque todos quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois de Cristo Jesus.
Rm 6.4       -> Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.
Cl 2.12       -> ...tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.
IPe 3.20-21        -> ...os quais noutro tempo foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquantose preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvas, através da água, a qual, figurando o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo;
At 22.16    -> E agora, por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dele.
At 2.41       -> Então os que lhe aceitaram a palavra foram batizados; havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.
Lc 22.19-20       -> E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós: fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.
ICo 11.26 -> Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha.
ICo 11.28 -> Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice;
IICo 13.5   -> Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está entre vós? Se não é que já estais reprovados.
 
 Batismo no Espírito Santo
 
         Cremos que o batismo no Espírito Santo é o recebimento dos dons do Espírito Santo, a fim de revestir o crente com poder do Alto; para glorificar e exaltar o Senhor Jesus; para dar uma palavra inspirada em testemunhos d’Ele: para promover o espírito de oração, santificação e sobriedade para capacitar o crente e a igreja a ganhar almas de maneira eficiente, prática, alegre, cheia do Espírito; e que, sendo esta ainda a dispensação do Espírito Santo, tem o crente todo direito de esperar o recebimento da mesma maneira pela qual o receberam judeus e gentios igualmente, nos dias bíblicos, conforme se encontra registrado na Palavra, de modo que possa ser dito de nós o que foi com respeito à casa de Cornélio; o Espírito Santo caiu sobre eles, no princípio, assim como em nós agora.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Jo 14.16-17       -> E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.
At 1.5,8      -> Porque João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. ...mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda Judéia e Samaria, e até os confins da terra.
At 2.4         -> Todos ficaram cheio do Espírito Santo,   e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.
At 8.17       -> Então lhes impunham as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo.
At 10.44-46        -> Ainda Pedro falava estas cousas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o Dom do Espírito Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo. Então perguntou Pedro:
At 19.6       -> E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam.
 
A vida cheia do Espírito Santo
 
         Cremos que, sendo o Espírito Santo como um vento poderoso e veemente, como línguas de chamas vivas, que podem sacudir e convulsionar comunidades inteiras para Deus, ele é, também, como uma delicada pomba, facilmente ofendido e magoado pela impiedade, frieza, vãs conversações, jactância e espírito de critica ou julgamento, bem como os pensamentos e ações que desonrem o Senhor Jesus; e que é, portanto, vontade de Deus que vivamos e andemos no Espírito, momento a momento, sob o precioso sangue do Cordeiro, a pisar respeitosa e suavemente na presença do Rei; sendo pacientes, amorosos, verdadeiros, sinceros, de oração, não murmuradores, estando a tempo e fora de tempo servindo ao Senhor.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Ef 4.30-32 -> E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Longe se vós toda amargura e cólera, ira, e gritaria, e blasfêmia, e bem assim toda malícia. Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou.
Ef 6.18       -> ...com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito, e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos,...
Rm 12.1-2 -> Rogo-vos, pois irmãos,  pelas misericórdias de Deus que apresenteis os vossos corpos por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
IJo 2.6       -> ...aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou.
Gl 5.16,25 -> Digo, porém: Andai no Espírito, e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.
 
ICo 3.17    -> Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá;   porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.
 
Dons e frutos do Espírito Santo
 
         Cremos que o Espírito Santo tem os seguintes dons a serem concedidos à igreja crente e fiel ao Senhor Jesus Cristo: a palavra de sabedoria, palavra de conhecimento, fé, operação de milagres, dons de curar, profecia, discernimento, línguas, interpretação que, conforme o grau de graça e fé de quem os recebe, são repartidos a cada um diversamente, segundo a vontade do Espírito; que eles são dignos de serem mui avidamente desejados e buscados, na ordem e proporção em que mais sejam edificantes e benéficos à igreja; e que o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio, deve ser manifestos, cultivados e cuidadosamente guardados como adorno resultante de uma vida cheia do Espírito e evidência constante, eloqüente e irrefutável disso.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
ICo 12.1,31        -> A respeito dos dons espirituais, não quero irmãos, que sejais ignorantes. Entretanto, procurai, com zelo os melhores dons.
ICo 12.11 -> Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas cousas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente.
ICo 14.12 -> Assim também vós, visto que desejais dons espirituais, procurai progredir, para a edificação da igreja.
 
Rm 11.29 -> ...porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis.
Rm 12.6-8 -> ...tendo, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada; se profecia, seja segundo a proporção da fé; se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina, esmere-se no fazê-lo; ou o que exorta, faça-o com dedicação; o que contribui, liberalidade; o que preside, com diligencia; quem exerce misericórdia com alegria.
Jo 15.8      -> Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos.
Jo 3.9        -> E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, quem não produz bom fruto, é cortada e lançada ao fogo.
 
Moderação
 
         Cremos que a moderação do crente deve ser notória a todos os homens; que sua experiência e proceder diários jamais o levem a extremos; fanatismos, manifestações escandalosas, calúnia, murmurações; mas que, sua sóbria, compenetrada, equilibrada, amadurecida, piedosa e zelosa experiência cristã seja de uma firme retidão, sensatez, humildade, auto sacrifício e conforme a Cristo.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Fp 4.5        -> Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor.
Ef 4.14-15 -> ...para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro, e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo.
ICo 13.5    -> ...não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal;
Cl 3.12-13 -> Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;
 
Cura divina
 
Cremos que a cura divina é o poder do Senhor Jesus Cristo para curar os enfermos e os aflitos, em resposta à oração sincera; que Ele, sendo o mesmo ontem, hoje e para sempre, jamais mudou; mas é, ainda, auxílio plenamente suficiente na hora da dor, capaz de saciar as necessidades, vivificar o corpo, a alma e o espírito a uma novidade de vida, em resposta à fé daqueles que oram com submissão à sua vontade divina e soberana.
 
É ensinado nas Escrituras:
 
Mt 8.17      -> ...para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças.  
Mt 9.5        -> Pois qual é mais fácil, dizer: Estão perdoados os teus pecados ou dizer: Levanta-te, e anda?
Mc 16.17-18      -> Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma cousa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.
At 4.30       -> ...enquanto estendes a mão para fazer curas, sinais e prodígios, por intermédio do nome do teu santo Servo Jesus.
Tg 5.15      -> E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
 
A Segunda vinda de Cristo
 
Cremos que a segunda vinda de Cristo é iminente; que Ele descerá do céu nas nuvens de glória com voz de arcanjo e com trombetas de Deus. E que, nesta hora, a qual ninguém sabe antecipadamente, os mortos em Cristo ressuscitarão e os remidos que estiverem vivos serão transformados e receberão corpos celestiais, num abrir e fechar de olhos e junto com eles, nas nuvens a encontrar o Senhor nos ares, para estarem sempre com o Senhor. E, vendo nós que o dia se aproxima e que mil anos são como um dia para o Senhor, e que ninguém sabe a hora do seu aparecimento, cada dia deve ser vivido como se Ele fosse esperado aparecer antes de findar o dia, obedecendo à sua ordem categórica “trabalhai até que eu venha”.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
ITs 4.16-17        -> Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua Palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.
Tt 2.12-13 -> ...educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,...
Mt 24.36,42,44-> Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai. Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem vosso Senhor. Por isso ficai também vós apercebidos; porque à hora em que não cuidais, o Filho do homem virá.
Hb 9.28     -> ...assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá Segunda vez, sem pecado, aos que aguardam para a salvação.
Lc 19.13    -> Chamou dez servos seus, confiou-lhes dez minas e disse-lhes: negociai até que eu volte.
Lc 12.35-37       -> Cingidos estejam os vossos corpos e acesas as vossas candeias. Sede vós semelhantes a homens que esperam pelo seu senhor, ao voltar ele das festas de casamento; para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram. Bem aventurados aqueles servos a quem o senhor quando vier os encontrem vigilantes; em verdade vos afirmo que ele há de cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e, aproximando-se, os servirá.
 
Relações para com a igreja
        
Cremos que, tendo aceitado o Senhor Jesus Cristo como Salvador pessoal e Rei, e tendo assim nascido na família e no corpo invisível da igreja do Senhor, é sagrado dever do crente, quando esteja em seu poder, identificar-se com a visível igreja de Cristo sobre a terra, e trabalhar com o maior entusiasmo pela edificação do reino de Deus; e que essa igreja visível é uma congregação de crentes que se tem associado entre si, em cristã comunhão e na unidade do Espírito, a observar as ordenanças de Cristo, adorando-o na beleza da santidade, falando uns aos outros em salmos e hinos e cânticos espirituais, lendo e proclamando a sua palavra, trabalhando pela salvação das almas, dando dos seus meios temporais para promover a sua obra, edificando, encorajando, exortando uns aos outros na mais santa fé e trabalhando harmoniosamente juntos, como filhos diletos que, embora muitos, são um corpo só, do qual Cristo é o cabeça.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Sl 111.1     -> Aleluia! De todo coração rendei graças ao Senhor, na companhia dos justos e na assembléia.
Hb 10.24-25       -> Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos como é de costume de alguns; antes, façamos admoestações, e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima.
At 16.5       -> Assim as igreja eram fortalecidas na fé e aumentavam em número dia a dia.
At 2.47       -> ...louvando a Deus, e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.
Rm 12.5    -> ...assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros.
Ml 3.16-17 -> Então os que temiam ao Senhor falavam uns aos outros; o Senhor atentava e ouvia; havia um memorial escrito diante dele para os que temem ao Senhor, e para os que se lembram do seu nome. Eles serão para mim particular tesouro naquele dia que preparei, diz o Senhor dos Exércitos; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho que o serve.
 
Governo civil
 
         Cremos que o governo civil é a indicação divina, para a promoção da boa ordem na sociedade humana e dos interesses da mesma; e que se deva orar pelos governantes e administradores, devendo eles ser obedecidos e apoiados em todo o tempo exceto, somente, nas coisas contrárias à vontade de nosso Senhor Jesus Cristo o qual é o soberano da consciência do seu povo, Rei dos reis, e Senhor dos senhores.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Rm 13.1,3 -> Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por Ele instituídas. Porque os magistrados não são para temor quando se faz o bem e, sim, quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem, e terá louvor dela;
Dt 16.18    -> Juizes e oficiais constituirás em todas as tuas cidades que o Senhor teu Deus te der entre as tuas tribos, para que julguem o povo com reto juízo.
At 5.29       -> Então Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes importa obedecer a Deus do que aos homens.
Mt 10.28    -> Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.
At 4.18-20 -> Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem nem ensinassem em o nome de Jesus. Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus; pois nós não podemos deixar de falar das cousas que vimos e ouvimos.
Mt 23.10    -> Nem sereis chamados guias, porque um só é vosso Guia, o Cristo.
Ap 19.16   -> Tem no seu manto, e na sua coxa, um nome inscrito; Rei dos reis e Senhor dos senhores.
 
Juízo final
 
         Cremos que os mortos, tanto humildes como poderosos, serão ressuscitados e estarão como os vivos perante o trono de julgamento de Deus; e que, aí, uma solene e terrível separação se dará, em que os maus serão condenados à punição eterna e os justos à vida eterna; e que esse julgamento estabelecerá para sempre o estado final dos homens, no céu ou no inferno, em princípios de justiça, conforme é manifesto na sua santa Palavra.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
IICo 5.10   -> Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.
Mt 13.41-43       -> Mandará o Filho do homem os seus anjos que juntarão o seu reino todos os escândalos e os que praticam a iniqüidade, e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos ( para ouvir ), ouça.
Hb 9.27     -> E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto, o juízo,...
 
 
O céu
 
         Cremos que o céu é a habitação indescritivelmente gloriosa do Deus vivo; e que para lá foi o Senhor a fim de preparar um lugar para seus filhos; que, para que essa cidade quadrangular, cujo construtor e realizador, é Deus, os crentes mais fervorosos, que lavaram suas vestiduras no sangue do Cordeiro e venceram pela espada do seu testemunho, serão levados; que o Senhor Jesus Cristo os apresentará ao Pai, sem manchas ou tristeza; e que lá, em alegria indizível eles contemplarão, para sempre, sua “face maravilhosa, num reino eterno onde não há trevas, nem há necessidade de luz, nem tristeza, nem lágrimas, nem dor, nem morte, mas hostes de anjos servidores dedilham suas harpas, cantam os louvores do nosso Rei e, reverenciando perante o trono, proclamam: “Santo, Santo, Santo”.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
ICo 2.9       -> ...mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.
Jo 14.2      -> Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar.
Ap 22.5     -> Então já não haverá mais noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.
Ap 21.4     -> E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras cousas passaram.
Ap 7.15-17         -> ...razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.
 
O inferno
 
         Cremos que o inferno é um lugar de trevas exteriores e da mais profunda tristeza, onde o verme não morre e o fogo não se apaga; um lugar preparado para o Diabo e seus anjos, onde haverá choro, pranto e ranger de dentes, lugar de amargura e eterno arrependimento por parte daqueles que rejeitaram a misericórdia, o amor e a ternura do Salvador crucificado, escolhendo a morte em vez da vida; e ali, em um lago que queima com fogo e enxofre serão lançados os descrentes, os abomináveis, os criminosos, os feiticeiros, os idólatras, os mentirosos, e os que rejeitaram e desprezaram o amor e sacrifício de um Redentor banhado em sangue, deixando atrás a cruz para a sua perdição, apesar de toda instância e advertência do Espírito Santo.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Mt 13.41-42       -> Mandará o Filho do homem os seus anjos que ajuntarão do seu reino todos os escândalos e os praticam a iniquidade, e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes.
Ap 20.10,15       -> O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago do fogo e enxofre, onde também se encontram não só a besta como o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite pelos séculos dos séculos. E, se alguém não foi achado inscrito no livro da vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo.
Ap 14.10-11       -> ...também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem, e quem quer que receba a marca do meu nome.
Mt 25.41    -> Então o Rei dirá também aos estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
MC 9.43-44        -> E, se tua mão te faz tropeçar, corta-a; pois é melhor entrares maneta na vida do que, tendo as duas mãos, ires para o inferno, para que o fogo inextinguível ( onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga ).
Ez 33.11    -> Dize-lhes: Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus,   não tenho prazer na morte do perverso, mas em que o perverso se converta do seu caminho e viva. Convertei-vos do vosso maus caminhos; pois, porque haveis de morrer, ò casa de Israel?
 
 
Evangelismo
 
         Cremos que, à vista do fato de que todo o presente estado de coisas passará, e que o fim de todas as coisas é iminente, os filhos remidos do Senhor Jeová devem levantar-se e brilhar como luz que não pode ser escondida, uma cidade edificada sobre um monte, espargindo o Evangelho aos confins da terra, cingindo o globo com a mensagem da salvação, declarando com zelo e entusiasmo ardentes todo o conselho de Deus; que, quando o Senhor da glória aparecer, eles serão achados de pé, tendo seus lombos cingidos com a verdade, suas atividades e seus ministérios ricamente compensados com a abundância de jóias que ganharam e guardaram para ele – as almas preciosas – conduzidas das trevas para a luz, através do instrumento de seu fiel testemunho; que o ganhar almas é a atividade por excelência da igreja sobre a terra; e que, portanto, toda opressão ou embaraço que vise a extinguir a chama ou prejudicar a eficiência na propagação mundial do evangelho, deve ser eliminada e não admitida, como indigna da igreja, prejudicial à causa de Cristo e contrária à grande comissão do Senhor.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
IITm 4.1-2 -> Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta, com toda a longanimidade e doutrina.
Ef 5.16       -> ...remindo o tempo, porque os dias são maus.
Pv 11.30    -> O fruto do justo é a arvore da vida, e o que ganha almas é sábio.
Tg 5.20      -> Sabei que aquele que converte o pecador do seu caminho errado, salvará da morte a alma dele, e cobrirá multidão de pecados.
Ez 3.17-18 -> Filho do homem: Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; da minha boca ouvirás a palavra, e os avisarás da minha parte. Quando eu disser ao perverso: Certamente morrerás: e tu não o avisares, e nada disseres para o advertir do seu mau caminho, para lhe salvar a vida, esse perverso morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue da tua mão o requererei.
Jo 4.35-37 -> Não dizeis vós que ainda há quatro meses até a ceifa? Eu, porém, vos digo: Erguei os olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa. O ceifeiro recebe desde já a recompensa e entesoura o seu fruto para a vida eterna; e, dessarte, se alegram tanto o semeador como o ceifeiro. Pois no caso é verdadeiro o ditado: Um é o semeador, e outro é o ceifeiro.
Mt 9.38      -> Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.
Mc 16.15   -> E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.
 
 
Dízimos e ofertas
 
         Cremos que o método estabelecido por Deus para manter seu ministério e prover a propagação do evangelho conforme sua ordem é o dízimo, o qual é acatado por este ministério, não só como sendo o método de Deus para prover quanto às necessidades materiais e financeiras da sua igreja, mas, para soerguer espiritualmente seu povo de tal sorte que Deus haja por força abençoá-lo. No tocante a “dar” e a “ofertar voluntariamente” é ordenado pelo senhor e praticado em todas as nossas igrejas, como parte do plano de Deus para atender às necessidades materiais da igreja e satisfazer a espiritualidade do seu povo. Sendo co-herdeiros com ele, sabemos que dar para o seu reino, que é também nosso, é algo agradável, sendo mais abençoado dar do que receber, pois somos ordenados em sua palavra.
 
É ensinado nas Escrituras em:
 
Ml 3.10      -> Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas dos céu, e não derramar sobre vós benção sem medida.
Gn 14.20b -> ...E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.
Lc 6.8        -> ...dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiveres medido vos medirão também.
IICo 9.7      -> Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.
 
Membros
 
         Os candidatos a membro devem, primeiramente, ser examinado quanto a sua fé, sendo feita oração juntamente com os membros e, nessa ocasião encorajados no seu propósito. Deve o candidato mostrar evidência de possuir genuína experiência de novo nascimento, ser batizado por imersão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e viver uma vida cristã que sirva de exemplo para pecadores como para convertidos, possuindo um grande desejo em ganhar almas e amor quanto ao progresso da causa deste Ministério Jesus Cristo é a Porta no mundo, devendo declarar sua lealdade a esta associação e disposição em auxiliar na sua manutenção.
 
      Cada candidato, como tal, expressará seu reconhecimento quanto ao fato de que “uma casa dividida contra si mesma não pode subsistir” e sua adesão à linha desta associação, para que não haja deslealdade, insubordinação, murmuração, críticas ou calúnias contra a mesma, ou contra seus dirigentes; e, se em algum tempo, qualquer membro sentir que não está mais sendo leal ou tenha perdido a simpatia para com esta associação, bem assim, não seja mais, como outrora, uma voz unânime para com ela, pedirá o mesmo uma carta de desligamento e, discretamente, se retirará do rol de membros, reservando-se às autoridades da associação o direito de introduzi-lo a assim proceder, caso se prolongue em abster-se disto; que o amor pelas almas e a paixão por ganhá-las deve ser a grande base e supremo fim para qual sejam conduzidos todos os esforços, e que idéias marginais e concepções não essenciais, bem como ocupar-se em discutir sutilezas entre doutrinas, coisas essas que tendem a quebrar a unidade e distrair da chama ardente do ganhar almas – devem ser evitadas e refutadas onde quer que se apresentem, que Cristo deve ser a figura central a ser mostrada, até que todos os homens O vejam, O amem, e d’Ele se aproximem.

MJCP, HÁ 24 ANOS UMA IGREJA A TODA PROVA!



Notícia visualizada 1409 vezes




Veja também:

     


© 2009 - Todos os direitos reservados.